Artigo da Semana – John Muth sobre Racionalidade e Expectativas – 11/09/2008

John Muth, no seu artigo Rational Expectations and the Theory of Price Movements(1961), foi responsável por desenvolver os fundamentos microeconómicos aplicáveis na formação de expectativas . Já que a microeconomia utiliza geralmente o pressuposto da racionalidade, Muth apenas conjectura que os agentes formam expectativas sobre variáveis económicas de interesse obedecendo a esse mesmo pressuposto. A partir daí desenvolve quais as implicações desta teoria nas estatísticas relevantes.

Para formular muitos modelos económicos completos torna-se necessário incluir o processo de formação das expectativas. Assim, antes do trabalho de Muth, era comum entre os economistas usar vários tipos diferentes de formulas. Simon (1959), um economista comportamentalista, resume as principais fórmulas para a formação de expectativas sobre preços nas seguintes:

  • expectativas ingénuas: em que se assume que os agentes esperam que o período corrente será exactamente igual ao últimos período conhecido – e.g.:  pet=pt-1
  • expectativas por extrapolação: os agentes esperam que o estado corrente seja igual ao último estado observado ao qual adicionam um efeito de tendência – e.g.:  pet= pt-1-φ(pt-1-pt-2)
  • expectativas adaptativas: as expectativas sobre os estados variam por um montante proporcional aos erros de previsão mais recentes – e.g.: pet= pet-1+μ(pt-1-pet-1)

Apesar deste tipo de modelação poder apresentar algumas vantagens em situações muito concretas, apresenta pouca ou nenhuma justificação teórica ou apresenta fraco ajustamento aos dados. No entanto a refinação destes modelos parecia ser o caminho a seguir já que nos anos 50 argumentava-se que o pressuposto de racionalidade económica originava teorias inconsistentes com a realidade. Muth argumentava precisamente o contrário, i.e., o problema resumia-se a que os modelos económicos (vigentes na altura) não assumiam racionalidade suficiente.

A grande ideia deste artigo foi a de que um agente racional e informado formula as mesmas expectativas que a teoria económica relevante. Por teoria económica refere-se ao processo sobre o qual os agentes interagem no mercado. Assim num mercado descrito pelas 3 seguintes equações (com variáveis a representar desvios em relação ao equilíbrio):

QDt=-βpt

QSt=-γpet+ut

QDt=QSt,

em que a 1ªeq representa a procura que reage ao preço corrente; na 2ªeq, uma oferta que antecipa o preço que vai vigorar no mercado (pet) quando tem de decidir o que produzir (sujeito a uma factor estocástico ut); a 3ªeq é apenas o equilíbrio entre oferta e procura. Por substituição e retirando o valor esperado, é fácil chegar à seguinte igualdade (para ut sem correlação temporal e Eut=0):

Ept=-(γ/β)pet

Como o preço esperado não pode diferir da expetativa do modelo por originar oportunidades de lucro para insiders, quando (γ/β)≠-1, torna-se necessário que pet=0 ou que o preço esperado iguale o preço de equilíbrio de mercado. Neste momento torna-se óbvia a revolução desta teoria de formação de expectativas em relação às indicadas anteriormente: qualquer oportunidade de lucro devido à informação que o modelo económico proporciona é explorada pelos agentes. A este tipo de expectativas, Muth designou de racionais.

No seu artigo utiliza então esta visão para analisar diferentes movimentos de preços para modelos de mercado diferentes, por exemplo: quando as expectativas são serialmente correlacionadas (por efeitos rendimento ou de custos alternativos na oferta); quando a informação é limitada para uma parte de empresas; quando existe especulação por acumulação de inventários. Em particular aquilo que realmente foi importante para a classe profissional foi o suporte que esta teoria proporcionou para explicar determinados puzzles empíricos que existiam na altura (relativamente aos teoremas de cobweb).

A partir daqui utilização das expectativas racionais extravasou muito para além das fronteiras microeconomia. Em particular este artigo teve uma influência enorme na introdução de uma linguagem comum, que hoje em dia é a norma, entre a microeconomia e a macroeconomia.

(o impacto da existência de especuladores num mercado segundo Muth…contra-intuitivo?!…)

Muth (1961) Rational Expectations and the Theory of Price Movements

Simon (1959) Theories of decision-making in economics and behavioral science

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Economia, Microeconomia com as etiquetas . ligação permanente.

Comentar...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s